Número de acidentes cai em relação ao Carnaval 2001

O número de acidentes nas estradas brasileiras, apesar das chuvas que caíram em quase todo o País, diminuíram 1,46% em relação ao feriado de Carnaval do ano passado. Mesmo assim, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou um alto índice de casos nos três primeiros dias de Carnaval. Foram 2.164 casos, contra 2.196 em 2001, com 1.293 feridos (no ano passado foram 1.410) e 117 mortos, contra 127 do ano anterior. Em São Paulo, houve 225 acidentes, três a menos que em 2001, com 87 feridos - no ano passado foram 99 - e oito mortos, um a mais que no feriado de 2001. Minas Gerais, mais uma vez, foi o Estado recordista em acidentes: 418 em 2002.Na avaliação do coordenador de Controle Operacional da PRF, Reinaldo Szydloski, os números ainda não são os esperados. "O condutor brasileiro ainda não está preparado para dirigir nas adversidades do tempo", afirma o coordenador, referindo-se às chuvas, principalmente de sexta-feira a domingo, em praticamente todo o País. "Mas, apesar das adversidades, os índices deste ano foram timidamente positivos." Apesar de São Paulo ter tido uma diminuição de 1,32% nos números de acidentes em relação ao mesmo período do ano passado, continua sendo um dos Estados onde a preocupação da PRF é maior. "São Paulo nos surpreendeu, assim como Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, pelo número de acidentes nos primeiros dias do feriadão", afirmou Szydloski.Minas Gerais também foi recordista no número de feridos e mortos, segundo o levantamento da PRF. No Estado, foram registrados 267 feridos (13 a mais que em 2001) e 25 mortos (quatro além do ano passado). "O problema é a malha viária, que é um grande corredor de passagem de veículos entre o Norte, Nordeste e Centro-Oeste", explicou o coordenador da PRF.A segunda colocação, em termos de porcentual, coube ao Rio de Janeiro, que teve 273 acidentes em 2001, contra 278 em 2002. Foram 44 feridos a mais que no ano passado - 164 em 2001 e 208 este ano. Em seguida vem São Paulo e depois Santa Catarina, que registrou 216 acidentes este ano, com 152 feridos e 11 mortos. Proporcionalmente, foi o Amazonas que registrou o mais alto índice de acidentes, apesar de, em números, serem bem inferiores ao restante do País: 133,33% a mais de casos que em 2001, passando de três para sete acidentes rodoviários.UltrapassagensAs ultrapassagens perigosas, segundo a PRF, foram as causas principais dos acidentes, inclusive dos casos fatais. "Não temos ainda o levantamento preciso, mas acreditamos que 60% das mortes foram causados por este tipo de acidente", afirma Szydloski. Mas, segundo ele, outro fator causou pelo menos 30% das mortes: os atropelamentos de ciclistas e pedestres nas rodovias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.