Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Núcleo cristão do PSDB apoiará Telhada em Comissão de Direitos Humanos

'É um ótimo parlamentar. Não vejo qualquer momento em que ele tenha infringido regras, ou dado declarações contra os direitos humanos', disse o presidente do núcleo, vereador Eduardo Tuma

Ricardo Chapola, O Estado de S. Paulo

15 de maio de 2015 | 05h00

O Núcleo Cristão do diretório municipal do PSDB vai anunciar nesta sexta-feira, 15, apoio ao deputado estadual Coronel Telhada (PSDB-SP), que foi indicado na semana passada a compor a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de São Paulo. O partido tem direito a três cadeiras no colegiado. 

Presidente do núcleo que contempla evangélicos e católicos da legenda, o vereador Eduardo Tuma afirmou que "não há nada que desabone" o parlamentar a integrar a comissão. 

"É um ótimo parlamentar. Não vejo qualquer momento em que ele tenha infringido regras, ou dado declarações contra os direitos humanos", disse Tuma. "No que depender de nós do núcleo, Telhada tem o nosso referendo para participar da comissão".

O anúncio será feito durante a eleição do corpo diretivo do Núcleo Cristão. Coronel Telhada é evangélico, músico da Congregação Cristã no Brasil, e membro ativo e participativo da Frente Parlamentar Evangélica da Assembleia Legislativa. 

 Tuma disse que o núcleo vai defender o nome do coronel na comissão apesar dos ruídos que a indicação causou "dentro e fora do partido", segundo palavras do vereador. O vereador se referiu à divergência interna causada após segmentos do PSDB terem divulgado, na semana passada, uma nota pedindo que o partido reconsiderasse a indicação. O texto foi assinado pela Juventude do PSDB, Tucanafro, Diversidade Tucana e PSDB Esquerda Pra Valer. A veiculação da nota provocou discussões internas dentro dos mesmos movimentos que assinaram o documento.

Tudo o que sabemos sobre:
Coronel TelhadaPSDBAlesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.