Novos helicópteros para Lula devem custar R$ 24 milhões

O comando da Aeronáutica abriu uma concorrência internacional, no início deste mês, para comprar mais dois helicópteros para serem usados no transporte do presidente da República e de ministros. A previsão é de que o governo gaste até US$ 12 milhões (cerca de R$ 24 milhões) na compra dos dois aparelhos com lugar para cinco pessoas, que deverão ser entregues até um ano depois do resultado da licitação.Os helicópteros serão incorporados à frota que hoje já atende o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros e terão características específicas exigidas pela Aeronáutica. Por serviram autoridades, terão que ter revestimento de couro, ar-condicionado, uma mesa para despachos e um mini refrigerador. Além disso, precisam ter um motor com redução de ruídos.As empresas candidatas terão que entregar as propostas até o início do próximo mês e a compra será feita pelo menor preço. Ainda foi incluída uma cláusula, comum em licitações internacionais, de incorporação de tecnologia - a empresa ganhadora terá que transferir tecnologia ao parque de material aeronáutico da Aeronáutica.O governo federal já tem hoje dois helicópteros que servem à Presidência da República, um de uso específico do presidente e outro que serve para as equipes de apoio. Normalmente, os helicópteros acompanham Lula nas viagens nacionais para serem usados em deslocamentos curtos, quando o presidente chega de avião a alguma distância do local do evento em que irá participar. Fora os helicópteros, Lula desloca-se, nas viagens maiores, no Airbus, um jato que custou US$ 56,7 milhões aos cofres públicos.Texto alterado às 22h40 para correção de valores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.