Novos cartões do Bolsa Família estão suspensos

Para evitar manipulação eleitoral às vésperas das eleições, o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome suspendeu a entrega de novos cartões do programa Bolsa Família entre os dias 24 de setembro e 5 de outubro. A medida foi determinada após as denúncias de uso eleitoreiro no cadastramento de 2.000 famílias em São Francisco de Itabapoana, município de 40 mil habitantes no norte fluminense.Segundo o secretário Nacional de Renda e Cidadania, André Teixeira, o adiamento na entrega de novos cartões atingirá 226.762 famílias de 953 municípios: "Com a repercussão do que aconteceu em São Francisco, vimos o quanto seria prejudicial para a credibilidade do programa se isso se repetisse em outros municípios".Teixeira ressaltou que não haverá qualquer prejuízo para as famílias que receberiam os cartões nesse período: "Haverá um lapso de tempo, mas o dinheiro já está depositado", informou.São Francisco - Três fiscais do Ministério do Desenvolvimento estão, desde segunda-feira, investigando o prefeito de São Francisco de Itabapoana, Pedro Cherene (PMDB), candidato à reeleição, acusado de ter cadastrado 2.000 famílias entre terça e sexta-feira da semana passada para fins eleitorais. Realizado às pressas, o cadastramento não estaria sendo feito com o rigor determinado pelo ministério.A Controladoria Geral da União também enviou dois auditores para apurar o que aconteceu em São Francisco do Itabapoana. Para o ministro do Controle e da Transparência, Waldir Pires, é "evidente" que o uso eleitoreiro do Bolsa Família aconteça em outros municípios: "Há toda uma cultura de clientelismo, de vícios, que temos que combater com a sociedade".O resultado da investigação deve sair após a realização do primeiro turno das eleições. Por isso, o presidente do Tribunal Regional do Rio, Marcus Faver, afirmou que não há tempo hábil para impugnar a candidatura de Chereno, caso seja comprovada a sua culpa. "A inscrição dele já foi feita, mas o juiz vai abrir um processo para que o candidato possa ter uma surpresa desagradável quando houver o resultado da eleição e ele estiver com a diplomação programada. Ele poderá não ser diplomado por infração à lei eleitoral."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.