Novo visual de Bin Laden pode ser prenúncio de ataque

Ao abandonar o rifle kalashnikov etingir a barba grisalha de preto, Osama bin Laden apresenta aomundo sua nova imagem, num vídeo que não faz ameaçasespecíficas, mas pode ser um prenúncio de um novo ataque da AlQaeda. Em um pronunciamento de meia hora divulgado a poucos diasdo sexto aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001contra os EUA, Bin Laden vagou entre a aula de história e osermão, conclamando os norte-americanos a trocarem a democraciacapitalista pelo Islã caso desejem o fim da guerra no Iraque. Analistas dizem que o aguardado vídeo --o primeiro-ministrode Bin Laden em três anos-- desmente rumores sobre a mortedele, mas é mais significativo pelo estilo que pelo conteúdo. "Ele apareceu sem a jaqueta com camuflagem militar quecostumava usar e sem seu kalashnikov favorito, que ele capturoude um general soviético durante a Guerra do Afeganistão", disseAbdel Bari Atwan, editor-chefe do diário em língua árabe AlQuds, de Londres. Na opinião dele, ao tingir barba e cabelo e ao vestirtrajes árabes Bin Laden tenta se mostra como uma nova figura,mais madura --o líder espiritual da Al Qaeda. Para outros, porém, o novo "look" de Bin Laden foi bizarro."Faz com que ele, um homem que diz querer ser um mártir, pareçafútil e ridículo", disse M.J. Gohel, da Fundação Ásia-Pacífico,também de Londres. Apesar do conteúdo apenas "morno", analistas não descartamque o vídeo seja o grito de guerra para um novo atentado. Asúltimas imagens de Bin Laden haviam sido divulgadas na vésperada eleição presidencial de 2004 nos EUA. "Já que vídeos mostrando Bin Laden falando com a câmera sãotão raros, a divulgação desta fita em particular podeprenunciar um grande ataque, embora notavelmente esta mensagemnão contenha nenhuma das suas habituais ameaças abertas contraos Estados Unidos", disse Gohel. Atwan, que já entrevistou Bin Laden, disse à Reuters:"Talvez se trate de um alerta de que um ataque pode acontecerem breve, esse é um tipo de vídeo de conclamação. Talvez hajauma mensagem a seus seguidores: ''Sigam adiante e façam o quequiserem''." Bin Laden não explicou seu longo silêncio, o que levara aespeculações de que ele estaria muito doente ou escondidodemais para conseguir gravar e difundir uma mensagem. Amr El Choubaki, especialista em movimentos islâmicosradicado no Cairo, disse que o apelo para que os EUA seconvertam ao Islã é um sinal de que ele não está em posição decitar objetivos mais concretos. "Está claro que sua influênciadentro da organização Al Qaeda agora é limitada", afirmou. Já Mohamed El Sayed Said, vice-diretor do Centro Ahram paraEstudos Políticos e Estratégicos, também do Cairo, disse que ovídeo, apesar da falta de avisos específicos, é "muito maisameaçador desta vez". "(Ele) está confiante, usa uma linguagem iconográfica quesugere: ''Estou encarregado de travar uma guerra infinita contravocês, e a única forma de obterem a paz é se converterem aoIslã"'', analisou Said. "Ele está num estado de batalha, numestado de guerra constante, sem fim, até que islamize o mundo." (Reportagem adicional de Inal Ersan, em Dubai, e AzizEl-Kaissouni, no Cairo)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.