Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Novo presidente da Apex destitui diretores ligados a chanceler

Indicado por militares, Sérgio Segóvia destitui da agência Letícia Catelani e Márcio Coimbra, ambos da cota pessoal de Ernesto Araújo

Lorenna Rodrigues, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2019 | 20h06

BRASÍLIA – O novo presidente da Agência de Promoção à Exportação (Apex), Sérgio Segóvia, destituiu do cargo os dois outros diretores da agência, Letícia Catelani, diretora de Negócios, e Márcio Coimbra, diretor de Gestão Corporativa. O desligamento foi comunicado pela Apex, em nota.

Segóvia assumiu o cargo nesta segunda-feira, 6, e é o terceiro presidente da agência no governo Jair Bolsonaro. Desde janeiro, a Apex se tornou um dos principais focos de embate entre “olavistas” e militares, com embates, principalmente, entre Letícia e os dois últimos presidentes. Na última sexta-feira, o diretor Márcio Coimbra já havia pedido demissão do órgão.

Tanto Letícia quanto Coimbra são da “cota” de Ernesto Araújo na agência, enquanto o novo presidente foi indicado pela ala militar. Segóvia é contra-almirante na Marinha Brasileira e atuou em diversas áreas do órgão. Ele aproveitou a nota da Apex para afastar boatos que vinham sendo espalhados por integrantes da Apex de que o militar não teria experiência em comércio exterior e não fala inglês, duas exigências para assumir o cargo.

“Na área de comércio exterior, (Segóvia) foi responsável pelos processos de logística e de aquisição internacional, quando encarregado do grupo de recebimento de navio no estrangeiro. É fluente nos idiomas inglês e espanhol”, afirmou a agência na nota. “A chegada do novo presidente implicará em algumas mudanças na Agência, já iniciadas hoje, com a decisão de Segovia de destituir de suas funções os senhores Marcio Coimbra, diretor de Gestão Corporativa, e Letícia Catelani, diretora de Negócios. Em breve serão informados os nomes dos novos ocupantes dos referidos cargos, cuja indicação estará sob responsabilidade do Conselho Deliberativo Administrativo”, completa o texto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.