Novo ministro diz que vai continuar usando cartão corporativo

Santos vai substituir Matilde Ribeiro, que se demitiu após ser apontada como campeã de gastos com cartão

Agência Brasil

14 de fevereiro de 2008 | 17h22

O deputado Edson Santos (PT-RJ), anunciado nesta quinta-feira, 14, como novo ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), afirmou em entrevista coletiva que a equipe da secretaria vai continuar utilizando o cartão corporativo para pagamento de despesas da pasta. A ex-titular da Seppir Matilde Ribeiro deixou a secretaria após denúncias de uso indevido do cartão.   Veja também:   Entenda a crise dos cartões corporativos   Após denúncia, governo publica mudanças para cartões   "De acordo com a orientação do governo do presidente Lula, nós iremos continuar usando o cartão corporativo, na medida em que a administração pública tem situações emergenciais, que precisam ter condição de atendimento rápido. E se o cartão corporativo é hoje o mecanismo mais adequado e mais transparente para se tocar o cotidiano da secretaria, nós iremos usá-lo de acordo com as normas estabelecidas pelo governo", afirmou.   Após o desligamento de Matilde Ribeiro, o governo recomendou que ministros não usem cartões corporativos em seu próprio nome. A idéia é que um funcionário faça os pagamentos em nome do titular da pasta. Questionado se terá um cartão em seu nome, Santos afirmou que "vai se cingir das normas estabelecidas pelo governo", mas não detalhou de que forma a Seppir vai usar a forma de pagamento.   O futuro ministro afirmou que deverá manter a equipe da gestão anterior, mas que pretende "dar um toque pessoal" à secretaria. "Não parto do princípio de exonerar todo mundo nem de manter todo mundo."   Santos comentou que está se inteirando das ações e programas da Seppir e que sua gestão à frente da secretaria terá como foco principal de atuação a população negra.   "A Seppir vai atuar junto aos índios, aos palestinos, judeus, enfim, às diferentes nacionalidades que temos aqui no Brasil e que nós, enquanto governo, enquanto ministro, iremos também cuidar, mas com ênfase, evidentemente, junto à população negra."   Mudanças   Em relação à necessidade de mudanças ou ampliação da estrutura da secretaria, apontada como insuficiente por representantes do movimento negro, Santos afirmou que conversou com a ex-ministra Matilde Ribeiro sobre o assunto, e adiantou que pretende tratar da questão com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na próxima semana. Santos vai assumir oficialmente a secretaria na próxima quarta-feira, em cerimônia de posse no Palácio do Planalto.   Deputado federal eleito pelo PT para o mandato 2007-2010, Santos foi vereador pela cidade do Rio de Janeiro por cinco mandatos, já foi diretor da União Estadual dos Estudantes do Rio de Janeiro e presidente da Associação de Moradores da Cidade de Deus, na capital fluminense. Atualmente é membro titular da comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões CorporativosCPI dos cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.