Beto Barata/AE - 06.02.2012
Beto Barata/AE - 06.02.2012

Novo ministro das Cidades assume papel de 'destravar engrenagens' da pasta

Aguinaldo Ribeiro diz que partido está 'unido' apesar de desgaste de seu antecessor

estadão.com.br

06 de fevereiro de 2012 | 19h07

O novo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP), tomou posse na tarde desta segunda-feira, 6, e assumiu o papel de "destravar as engrenagens" da pasta. Ribeiro afirmou em seu discurso que sua prioridade será a gestão, e disse ser capaz de aliar a atividade política ao rigor técnico.

 

"Recebi uma instrução clara para destravar as engrenagens do Ministério das Cidades", afirmou Ribeiro, após fazer uma homenagem a seu antecessor, Mário Negromonte (PP). "É forçoso reconhecer que vivemos um clima de grande ceticismo em relação aos políticos. É plenamente possível conciliar atividade política com rigor técnico. E nos dias de hoje, a boa política deve estar baseada na gestão", disse.

 

Ribeiro também declarou que um de seus papéis será promover a inclusão social, destacando a execução do programa "Minha Casa, Minha Vida".

 

Para afastar imagem de divisão interna no PP, ministro Aguinaldo Ribeiro fez diversas menções à "unidade" de seu partido, conferindo atenção especial ao presidente da sigla, o senador Francisco Dornelles (PP-RJ).

 

Em um gesto de deferência ao partido, a presidente Dilma Rousseff destacou a "importância estratégica" da pasta para o desenvolvimento do Brasil. Em seu discurso, Dilma disse contar com o apoio da legenda, repetiu diversas vezes a dimensão dos investimentos comandados pelo ministério e também citou a participação da pasta no "Minha Casa, Minha Vida", um dos programas prioritários de sua gestão.

 

"Estamos decididos a investir pesadamente em infraestrutura e melhoria da distribuição de renda e da qualidade de vida em nosso País", disse a presidente ao novo ministro. "Sob sua gestão, estarão políticas decisivas para o desenvolvimento e um dos nossos mais caros objetivos, que é oferecer melhores condições de vida à população."

 

Ribeiro foi indicado para o cargo após a demissão do ex-comandante da pasta, Mário Negromonte (PP), que culpou setores de seu próprio partido pelo desgaste que sofreu nas últimas semanas. Negromonte foi acusado de receber lobistas e participar da fraude de um documento que recomendava um sistema de transporte mais caro para Cuiabá para a Copa do Mundo, conforme revelou o Estado.

 

Na cerimônia de posse de seu sucessor, Negromonte negou irregularidades durante sua gestão. "Podemos afirmar, não há nenhuma irregularidade na nossa gestão frente ao Ministério das Cidades. Saio como entrei, sem nenhum processo e de cabeça erguida", disse Negromonte. "Pautamos nossa atuação, senhora presidente, sempre e sempre na estrita aderência aos ditames da lei."

 

Negromonte, que agora reassume seu mandato de deputado federal, prometeu continuar trabalhando a favor do governo Dilma Rousseff. "Missão cumprida, volto a minha casa de origem, a Câmara dos Deputados, com duas metas: apoiar o governo e contribuir para a unidade do Partido Progressista", afirmou.

 

Aguinaldo Ribeiro também chega à Esplanada dos Ministérios sob suspeita de beneficiar parentes durante seu mandato de deputado. Ele destinou emendas para Campina Grande (PB), município em que a irmã é pré-candidata à prefeitura, pediu prioridade em repasses para a Prefeitura de Pilar, governada pela mãe, e emprega em seu gabinete na Câmara um primo que não bate ponto em Brasília.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.