Novo ministro anuncia missão especial da PF no ES

O novo ministro da Justiça, Paulo de Tarso Ramos Ribeiro, anunciou hoje que, como primeiro passo no combate ao crime organizado no Espírito Santo, uma missão especial da Polícia Federal (PF), formada por 50 agentes, cinco delegados e dois peritos criminais atuará no Estado a partir da próxima segunda feira. Os policiais federais atuarão em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e outros órgãos da União, como o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e o Banco Central (BC). Nessa primeira fase, o governo destinará cerca de R$ 1,5 milhão para manter o reforço da PF no Estado. Está previsto também o aumento da proteção de testemunhas que denunciaram criminosos no Espírito Santo. De acordo com o representante do Movimento dos Direitos Humanos, Romeu Klich, a primeira lista de testemunhas que terão proteção especial será entregue na segunda-feira. Entre elas, encontram-se juízes e promotores públicos. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Orlando Fantazzini (PT-SP), disse que, num primeiro momento, está satisfeito com a decisão do Executivo federal de combater o crime organizado no Estado. "Mas, para que haja sucesso, é preciso que a sociedade fique atenta a todos os atos e faça pressão para que a impunidade não continue", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.