PSDB
PSDB

Novo líder do PSDB na Câmara defende apoio a eventual governo Temer

Deputado Antônio Imbassahy, eleito nesta quarta, ponderou, contudo, que a decisão deverá ser tomada em conjunto com o resto da bancada no Congresso, governadores e outras lideranças da sigla

Igor Gadelha e Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2015 | 19h46

BRASÍLIA - Eleito nesta quarta-feira, 16, novo líder do PSDB na Câmara, o deputado Antônio Imbassahy (BA) defendeu apoio do partido a um eventual governo Michel Temer (PMDB), caso a presidente Dilma Rousseff seja afastada. Com trânsito em diferentes alas da legenda, o tucano ponderou, contudo, que a decisão deverá ser tomada em conjunto com o resto da bancada no Congresso, governadores e outras lideranças da sigla.

"Temos que contribuir na eventualidade de assumir o vice-presidente da República, Michel Temer, como o PSDB sempre procurou contribuiu", afirmou Imbassahy. "Agora é esperar que o próprio vice-presidente, se ele vier a assumir, como esperamos e é a expectativa da maioria dos brasileiros, a gente possa aqui no Congresso correspondê-lo e que o governo coloque rumo ao País".

Eleito por 28 votos a 23 contra o deputado Jutahy Júnior (BA), o novo líder minimizou a votação apertada. Para ele, isso não sinaliza uma divisão da bancada tucana na Câmara. Na avaliação de Imbassahy, o placar mostra a "qualidade" dos candidatos. Jutahy é bastante próximo ao senador José Serra (PSDB-SP), que já defendeu publicamente apoio do partido a um eventual governo Michel Temer.

PMDB. Além das críticas ao PT, Imbassahy disparou contra o PMDB durante entrevista. Para o tucano, o processo de destituição do deputado Leonardo Picciani (RJ), pró-governo, da liderança do partido na Câmara e a indicação de Leonardo Quintão (MG) foi uma ação errada da sigla. "Me parece que o PMDB está em autocombustão", disparou. "Destituir um líder não é uma coisa que se faz", acrescentou.

Imbassahy assumirá a liderança do PSDB na Câmara a partir de fevereiro de 2016, sucedendo o deputado Carlos Sampaio (SP). O parlamentar paulista é bastante ligado ao presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG). Será a segunda vez que Imbassahy assume o cargo. Antes de Sampaio, ele já tinha sido líder dos tucanos na Casa durante o ano de 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.