Novo cadastro ajudará identificação de fantasmas no Senado

Segundo Sarney, funcionários que não participarem de recadastramento terão seus salários cancelados

CAROL PIRES, Agencia Estado

22 Outubro 2009 | 19h31

A Diretoria Geral do Senado deve concluir, na próxima terça-feira, 27, o recadastramento de mais de 6 mil servidores, o que deve permitir identificar possíveis funcionários fantasmas. O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou nesta quinta-feira, 22, que a instituição está se preparando para tomar medidas administrativas contra os servidores que não participarem do censo. Os funcionários serão alvos de processos administrativos e terão os salários suspensos.

Veja Também

linkSarney não descarta existência de 'fantasmas' no Senado

linkSenador pede suspensão de salário de 828 servidores

Ainda segundo Sarney, se ficar comprovada a existência de fantasmas no quadro de pessoal do Senado, os mesmos serão exonerados. O prazo final para o recadastramento termina meia-noite da próxima segunda-feira.

"Se existirem (funcionários fantasmas), nós vamos demitir. Funcionário fantasma não se pode permitir. Pelo menos nós vamos procurar saber quem for a pessoa nomeada e que não trabalha porque será imediatamente demitida", afirmou o senador.

Os 6.277 funcionários do Senado foram intimados no final de agosto a preencher um formulário de recadastramento, que deveria ser respondido via internet ou correspondência. No entanto, 828 funcionários não haviam participado do censo até o encerramento e o prazo foi ampliado para a próxima semana.

Existe a suspeita de que existam funcionários "fantasmas" entre os que deixaram de responder o censo. Dos 828 servidores que não participaram do censo, 663 começaram a preencher o formulário, mas não o concluiu ou deixaram de imprimir o recibo do cadastramento, o que inviabiliza o processo. Outros 165 servidores sequer iniciaram o processo.

"Alguns erraram no computador na hora de confirmar o envio, mas os que foram remanescentes e os que não tenham se apresentado, nós mandaremos cortar os vencimentos até que possam se recadastrar, a partir desse mês", explicou o senador José Sarney.

A decisão da diretoria-geral do Senado de realizar um censo entre os funcionários foi tomada durante a crise política envolvendo a administração da Casa, iniciada em fevereiro, com a eleição de Sarney para a presidência do Senado. O cadastramento dos servidores visa atualizar, a cada ano, informações sobre os 3.418 servidores efetivos e 2.849 funcionários em cargos comissionados lotados atualmente no Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.