Novela teve mãe-de-santo e pastor

Em meio às reclamações de perseguições às religiões de origem africana por pastores neopentecostais, o teledramaturgo Aguinaldo Silva, autor da novela Duas Caras, do horário nobre da Rede Globo, caminhou na direção contrária: deu um papel de destaque à mãe-de-santo Setembrina, interpretada por Chica Xavier, na primeira parte da trama. De maneira tímida, ele ensaiou até uma aproximação respeitosa entre ela e o pastor Lisboa (Ricardo Blat), intransigente líder evangélico, que já saiu de cena - assim como a mãe-de-santo.De maneira geral, o candomblé vem conquistando espaço no Brasil. Num estudo sobre o tema, a partir de dados do censo, o antropólogo Reginaldo Prandi, da USP, observou que a umbanda, uma mistura de cultos afros com o kardecismo, é quem perde mais terreno. O candomblé estaria até passando por um período de ressurgimento, com o estudo mais aprofundado de suas origens na África. Outra observação do antropólogo é que ele se expande para além de suas fronteiras tradicionais, na região nordestina, em direção ao Centro-Oeste.Antes dos evangélicos, os terreiros das religiões afro já foram combatidos pela Igreja Católica. E também pela polícia. Até os anos 60, para a abertura e o funcionamento de um terreiro era necessário obter antes um alvará na delegacia de polícia da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.