Nove vereadores são presos em Fronteira-MG

Processados por improbidade administrativa, dentre outros crimes, eles contrataram auditoria em nome da Câmara para auxiliá-los na própria defesa

Marcela Gonsalves, do estadão.com.br

20 de julho de 2011 | 16h10

Nove vereadores da cidade de Fronteira (MG) foram presos após terem contratado, em nome da Câmara Municipal de Fronteira, uma empresa de auditoria para auxiliá-los em sua defesa em processo judicial. O mandado de prisão foi expedido pela Justiça na última quinta-feira, 14, e cumpridos pela Polícia Civil. Os vereadores começaram a ser alvo de investigações do Ministério Público estadual por desvio de dinheiro público entre janeiro de 2009 e dezembro de 2010.

Em fevereiro deste ano, eles foram processados pela prática dos crimes de formação de quadrilha e de peculato, e de atos de improbidade administrativa causadores de enriquecimento ilícito e de dano ao erário.

Um novo inquérito civil foi instaurado após o MP descobrir que os vereadores novamente tinham se valido de recursos públicos para contemplar interesses particulares. A ação criminal proposta pelo Ministério Público culminou na prisão preventiva dos nove vereadores e afastamento do exercício de suas funções públicas.

Tudo o que sabemos sobre:
prisãovereadoresFronteiraMG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.