Novas medidas contra crise devem sair semana que vem

O presidente Luiz Inácio Lula programa para a próxima semana o anúncio de novas medidas para combater os efeitos da crise financeira global. Segundo informou nesta terça-feira uma fonte do Palácio do Planalto, o foco dessas ações será o setor da construção civil, sobretudo o setor de habitação. Nesta semana, as diversas áreas do governo concluirão as discussões sobre o assunto, que vem sendo debatido internamente desde o final do ano passado. Na reunião de coordenação política do Executivo desta terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que voltou das férias, fez um relato aos demais integrantes do núcleo do governo sobre a conjuntura econômica. O presidente também fez um balanço com seus auxiliares do encontro que manteve na segunda-feira com representantes das principais centrais sindicais do país. Os sindicalistas pediram que o governo reduza os juros e tome medidas para evitar o desemprego. Lula disse aos sindicalistas que se reunirá na quarta-feira com os presidentes dos bancos públicos a fim de cobrar cortes nos juros e spreads. O presidente e os ministros também conversaram na reunião de coordenação sobre a eleição para a presidência do Senado e sobre o caso de Cesare Battisti, acusado de quatro assassinatos na Itália que recebeu refúgio político do governo brasileiro. O presidente já afirmou que a decisão de acolher Battisti foi soberana e a Itália terá de aceitá-la, mas o país europeu tenta convencer o Brasil a extraditá-lo. Em relação à sucessão no Senado, o Palácio do Planalto pretende se manter neutro, uma vez que PT e PMDB entraram em rota de colisão. Disputam o cargo Tião Viana (PT-AC), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) e José Sarney (PMDB-AP) --que na noite de segunda-feira informou ao presidente que, diferentemente do que vinha dizendo, pretende concorrer ao posto. O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, também fez um relato à coordenação política do governo sobre sua viagem ao Oriente Médio e os contatos telefônicos que manteve para tratar da situação na Faixa de Gaza, onde Israel e o grupo palestino Hamas anunciaram separadamente uma trégua. Além de Lula, Amorim e Mantega, participaram da reunião os ministros Dilma Rousseff (Casa Civil), Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência), Franklin Martins (Comunicação Social), José Múcio Monteiro (Relações Institucionais), Paulo Bernardo (Planejamento) e Tarso Genro (Justiça) e o vice presidente, José Alencar. (Reportagem de Fernando Exman; Edição de Carmen Munari)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.