Nova sede da PF começa a ser erguida este ano no DF

Brasília ganhará o primeiro prédio público ecológico. É a nova sede da Polícia Federal (PF), que começa a ser construída este ano no Setor de Autarquias Norte (SAN), com recursos do orçamento do órgão. A obra custará R$ 165 milhões e será um superedifício em tamanho, segurança e tecnologia. Mas a principal marca da construção, conforme afirmou o diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa, será a sustentabilidade.Desenhado por arquitetos da polícia, o projeto prevê o uso máximo de iluminação natural e um sistema de ventilação que reduza, substancialmente, o uso do ar condicionado. "Será um edifício inteligente e moderno, como o País precisa, mas a grande preocupação, nesses tempos de angústia ambiental, é com a economia de energia e recursos naturais", afirmou.Corrêa compara a corporação a um adolescente que cresceu demais e ficou com braços e pernas fora da roupa. Nos últimos anos, o órgãos elevou o efetivo de 7 mil para mais de 13 mil policiais, criou departamentos e montou um parque tecnológico considerado de primeiro mundo. O número de operações subiu de 40, registrado em 2002, para mais de cem ao ano, desde 2005. Mas a sede do órgão continua a mesma. Um dos símbolos do regime militar, construído na década de 70 às pressas, a sede atual, conhecida como Máscara Negra - pelos vidros escuros e aspecto sombrio, ficou rapidamente obsoleta.A nova sede terá 100 mil metros quadrados - 65 mil m² na primeira fase, a ser concluída em 2011. Serão quatro torres, batizadas como nomes de personagens da mitologia grega. Na primeira, Athenas, ficarão o gabinete da direção-geral e as demais diretorias com os órgãos de assessoramento direto.ÍcaroNa segunda, Ícaro, funcionarão atividades-meio e as divisões da PF subordinadas às diretorias. A Torre Artemis concentrará as divisões operacionais, e a última, Aquiles concentrará os órgãos de investigação e a inteligência policial. Cada torre terá 17 andares e a nova sede da PF contará com uma garagem para 1,4 mil carros. Terá também salas de treinamento, auditório para 500 pessoas, praça cívica, academia de ginástica e defesa pessoal, além de estande de tiro, restaurante e helipontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.