Nova relatora da CPI decide pedir indiciamento de Dantas

A nova relatora da CPI dos Grampos, deputada Iriny Lopes (PT-ES), vai incluir o pedido de indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity, no relatório final da comissão. O texto oficial, apresentado anteriormente pelo então relator Nelson Pellegrino (PT-BA), sugeria apenas o indiciamento de quatro personagens periféricos da investigação, deixando de lado Dantas e os delegados Paulo Lacerda, ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), e Protógenes Queiroz, ex-chefe da Satiagraha. Pellegrino deixou a relatoria na segunda-feira ao se licenciar do cargo de deputado para assumir a Secretaria de Justiça da Bahia.

ANA PAULA SCINOCCA, Agencia Estado

06 de maio de 2009 | 19h01

A decisão de incluir Dantas no relatório final foi tomada em conversa entre Iriny e o próprio Pellegrino, e já comunicada a deputados da CPI. A comissão deve começar amanhã a discussão para votação do texto final. A sessão de hoje foi adiada para que a nova relatora tivesse mais tempo para fazer as modificações no texto. A CPI tem até o dia 14, quando termina oficialmente, para realizar a votação.

"Em conversa com o relator anterior decidimos incluir Daniel Dantas por considerar que existem fortes indícios para tanto. Mesmo que ele já esteja sendo investigado pela Polícia Federal, com ações no Ministério Público e no Judiciário, acreditamos que a inclusão reforça a necessidade de se apurar também escutas clandestinas executadas a mando do banqueiro. A CPI não tem poder de indiciamento, mas de colaborar com documentação encaminhada ao Ministério Público e requerer abertura de ação contra os denunciados", confirmou Iriny. Ela não vai incluir em seu texto sugestões de indiciamentos de Protógenes, Lacerda ou outro personagem central da investigação da CPI fora Dantas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.