Nova relatora confirma pedido de indiciamento de Dantas

No relatório anterior da CPI dos Grampos, banqueiro, Protógenes e Lacerda tinham escapado da denúncia

Ana Paula Scinocca, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2009 | 11h10

A nova relatora da CPI dos Grampos, Iriny Lopes (PT-ES), confirmou na manhã desta quinta-feira o pedido de indiciamento do banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity, no relatório final da comissão. Dantas é indiciado por grampo ilegal. Iriny assumiu a relatoria da CPI na última terça-feira, um dia depois de o então relator, deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), ter se licenciado da Câmara para assumir a Secretaria do Estado da Justiça do governo baiano.

No relatório de Pellegrino, os personagens centrais da investigação da CPI, como Dantas e os delegados Protógenes Queiroz, ex-chefe da Satiagraha, e Paulo Lacerda, ex-diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), ficaram de fora. Pellegrino pediu apenas o indiciamento de quatro personagens periféricos, um deles o sargento da Aeronáutica Idalberto Araújo.

Iriny está mantendo em seu texto os indiciamentos sugeridos por Pellegrino, mas em relação a Araújo está alterando a argumentação do pedido de indiciamento. No relatório anterior, Pellegrino recomendou o indiciamento do sargento por posse de material sigiloso em sua residência. Já no entendimento da nova relatora, Araújo deve ter seu pedido de indiciamento sustentado na participação de vazamento de documentos sigilosos.

Neste momento, Iriny está lendo seu relatório final. A discussão do texto final deve começar em seguida, mas dificilmente a votação será finalizada hoje. A CPI termina oficialmente na próxima quinta-feira, dia 14.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.