Nova proposta a militares prevê 16% de aumento

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou ao ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, que apresente ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, contraproposta para o reajuste dos militares, concedendo 16% de aumento este ano, mais a inflação futura, escalonada até 2010, que daria mais algo em torno de outros 14%. Elas seriam pagas em outras duas parcelas, nos próximos dois anos. Os militares estão pedindo reajustes escalonados em até duas vezes, que variariam de 27,62%, para patentes mais altas, a 37,04%, para os cargos menos favorecidos e já haviam sinalizado que consideram muito baixa a proposta porque as demais categorias teriam sido mais privilegiadas. Mas um ponto está fechado em relação aos militares: o governo concordou e vai autorizar o aumento de R$ 207 para R$ 415 para os 80 mil recrutas.Na mesma reunião com Paulo Bernardo, no Palácio do Planalto, o presidente discutiu a questão do reajuste de 750 mil servidores civis. Muito irritado com as categorias consideradas muito bem remuneradas e que estão em greve, como os advogados da União e os fiscais da Receita Federal, Lula resolveu jogar duro. O governo pensa em excluí-las do reajuste que pretende dar aos servidores, via medida provisória, a ser encaminhada ao Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.