Nova MP dos Aposentados é arbitrária e autoritária, diz Rodrigo Maia

O líder do PFL na Câmara, Rodrigo Maia (RJ), classificou de arbitrária e autoritária a decisão do governo de editar uma nova medida provisória para reajustar as aposentadorias pagas pelo INSS com valor superior a um salário mínimo, impedindo o Congresso de votar a MP que está aguardando deliberação dos deputados."O governo toma um decisão e não deixa que a população, por meio de seus representantes, se manifeste. Quer tutelar o parlamento", protestou Rodrigo Maia. O líder criticou ainda o fato de, com essa manobra, o governo impedir os eleitores de conhecerem o que pensam seus representantes antes das eleições. "O governo esconde a posição de cada um de seus integrantes", afirmou Maia.A votação da MP que reajusta as aposentadorias está obstruindo a pauta do plenário, porque os governistas, temendo derrota, estão impedindo a votação. O governo não tem votos suficientes para derrubar a proposta do oposição, que reajusta o valor das aposentadorias em 16,67%.Uma nova medida provisória vai trancar a pauta no prazo de 45 dias após a sua edição, portanto, após as eleições. E como o Congresso está em recesso branco, sua votação ficará para após as eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.