Nova ministra é a favor de debate sobre lei do aborto

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Iriny Lopes desenvolveu atuação próxima a movimentos sociais como quilombolas e sem-terra

Bruno Boghossian, de O Estado de S.Paulo,

22 Dezembro 2010 | 21h23

RIO - Defensora da terceira edição do Plano Nacional de Direitos Humanos e da abertura do debate sobre a descriminalização do aborto, a deputada Iriny Lopes (PT-ES), de 54 anos, assume a Secretaria Especial de Política para as Mulheres como uma das principais representantes da corrente petista Articulação de Esquerda. Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, desenvolveu atuação próxima a movimentos sociais como quilombolas e sem-terra.

 

Considerada uma política moderada, disputou a presidência do PT em 2009, quando José Eduardo Dutra foi eleito.

 

Desde julho de 2009, gastou R$ 132 mil de sua verba de gabinete em uma gráfica sediada em Vila Velha. No mês passado, o pagamento à Quatro Irmãos Gráfica e Editora chegou a R$ 52 mil. Segundo o chefe de gabinete, o valor se refere à impressão de 45 mil exemplares de um jornal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.