Nova direção do PT tem que sair às ruas, diz Lula

Em um momento de análise do próprio partido, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na noite desta terça-feira, 13, que seja cobrado da nova direção nacional do PT "mais pé na estrada e menos bunda na cadeira". Tido como um partido de massa, o PT também foi pego de surpresa pelos protestos realizados em meados do último mês junho em que milhares de pessoas foram às ruas para reivindicar melhoras do serviço público.

ERICH DECAT, Agência Estado

13 de agosto de 2013 | 23h45

"Nós precisamos dizer para a nova direção do PT, mais pé na estrada e menos bunda na cadeira. Esse pais necessita nesse momento de um partido que debata com o povo", disse Lula em Brasília em evento em que o deputado estadual Rui Falcão lançou a sua candidatura à reeleição ao comando da legenda. A disputa interna está prevista para o próximo dia 10 de novembro e contará com outros cinco candidatos. "O PT é o desejo da sociedade brasileira em mudar a historia desse País", acrescentou Lula. Em outro momento, o ex-presidente atacou a imprensa que, segundo ele, "esculhamba" a classe política. "A imprensa passa 24 horas por dia esculhambando com o político e fico puto porque os políticos não reagem".

O petista também não poupou integrantes da oposição dizendo que o partido fez mais do que todos os seus antecessores. "Poderemos não ter feito tudo, mas que nós fizemos mais que todos eles juntos fizemos. Certamente que isso incomoda. E quando isso incomoda eles, a gente não pode se sentir incomodado, a gente tem que saber que isso exige de nós mais maturidade, mais serenidade", afirmou. Sobre a conjuntura econômica, o petista ponderou que dentro do cenário internacional o Brasil ainda vem crescendo mais que a média dos países. "Em qual lugar do mundo lugar durante 10 anos os trabalhadores tiveram aumento real de salário? Em qual lugar do mundo o salário mínimo cresceu 10 anos consecutivos?"; questionou.

Tudo o que sabemos sobre:
Rui FalcãoreeleiçãoLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.