'Nova CPMF não passará fácil no Senado', diz presidente da Casa

'Eu não sou simpático à idéia', diz Garibaldi Alves; base quer criar novo imposto por meio de lei complementar

21 de maio de 2008 | 17h28

O presidente do Senado, Garibaldi Alves (PMDB-RN), afirmou nesta quarta-feira, 21, que uma nova Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira ( CPMF) "não passará fácil" na Casa. Para ele, o ideal seria sobretaxar bebidas e cigarros para obtenção de recursos para financiar a Saúde no País. "A nova contribuição não passa fácil. O fantasma da velha CPMF pode prevalecer. Isso pode levar o debate a radicalismos", afirmou o peemedebista. "De todas as soluções (sobretaxar bebidas e cigarros) é a mais amena", opinou Garibaldi.   Veja Também: Congresso deve definir nova fonte para saúde, Bernardo Governo não vai participar de recriação da CPMF, diz Múcio Não há iniciativa do governo para ajudar Emenda 29, diz Lula Governo não apresentará proposta de nova CPMF, diz Múcio Entenda a Emenda 29  Entenda a cobrança da CPMF    "Criando um novo imposto eu não sou simpático à idéia, a não ser que não tenha outra alternativa", ressaltou o presidente do Senado.

Tudo o que sabemos sobre:
Garibaldi AlvesCPMFemenda 29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.