Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

Nova cirurgia de Bolsonaro será realizada no dia 28 de janeiro

Operação para retirada da bolsa de colostomia foi agendada por equipe médica do Hospital Albert Einstein

Fabiana Cambricoli, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2018 | 20h28

SÃO PAULO - A cirurgia para retirada de bolsa de colostomia do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) será realizada no dia 28 de janeiro, informou nesta quinta-feira, 13, o chefe da equipe médica do político, o cirurgão Antônio Macedo, do Hospital Israelita Albert Einstein.

O hospital já havia divulgado, no final de novembro, que o presidente eleito só passaria pela operação após a posse, contrariando previsão inicial de que a cirurgia seria realizada ainda em dezembro.

O procedimento foi postergado após Bolsonaro passar por exames em novembro que detectaram uma inflamação no peritônio (membrana que envolve os órgãos do aparelho digestivo) e aderências nas alças intestinais.

A nova cirurgia, a terceira a que Bolsonaro será submetido após ser atacado com uma faca durante a campanha, terá como objetivo reconstruir o trânsito intestinal. Desde setembro, quando sofreu o atentado, o presidente eleito usa uma bolsa coletora de fezes acoplada ao corpo. O procedimento foi necessário após a facada porque o intestino grosso foi lesionado e precisou ser suturado e isolado do material fecal para diminuir o risco de infecções.

Segundo a equipe médica, o tempo de internação em cirurgias de reversão da colostomia é de cerca de uma semana. Mesmo após a alta, o paciente ainda precisa manter o repouso em casa por mais sete dias.

A realização da cirurgia no dia 28 de janeiro permitiria ao presidente eleito participar do Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça, que acontecerá entre 22 e 25 de janeiro.

 

Mais conteúdo sobre:
Jair Bolsonaro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.