Notebook que tirou extrato de caseiro já está na PF

Auditores da Caixa Econômica Federal (CEF) entregaram ontem à Polícia Federal, após às 22 horas, o computador utilizado para retirar o extrato bancário do caseiro Francenildo Santos Costa. O computador foi lacrado e só na segunda-feira é que técnicos da Polícia Federal começarão a analisar seu conteúdo.Depois de afirmar que a máquina não estava mais em Brasília, a CEF informou à PF que a entregaria. Em nota divulgada no início da noite, o banco público informa que o acesso à conta do cliente "foi um ato isolado, acontecendo fora de suas agências". A Caixa acrescentou que foi colocado um técnico "à disposição para informar e esclarecer aos peritos da Polícia Federal e à autoridade responsável os procedimentos adotados para a identificação dos envolvidos". De acordo com a nota "um dos empregados que acessou a máquina encontrava-se em São Paulo, portando o seu computador portátil". O equipamento foi requisitado pela comissão de apuração da Caixa e entregue a uma unidade de autoria da instituição em São Paulo, "lacrado e enviado, sob guarda de auditor, para Brasília".O nome dos funcionários identificados como responsáveis pela retirada dos extratos não foi divulgado pela Polícia Federal, para preservar o direito à privacidade. InvasãoDe acordo com o advogado do caseiro, Wlício do Nascimento, o extrato da conta de Francenildo foi retirado na noite do dia 16, quando o caseiro estava na sede da Polícia Federal fazendo a inscrição no programa de proteção a testemunhas. Nascimento disse que, na ocasião, o caseiro entregou o cartão bancário à Polícia Federal, embora não tenha informado a senha e o código de letras necessário para acesso à conta. Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, na semana passada suspenso antes da conclusão por liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) , Francenildo confirmou que viu o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, "dez ou 20 vezes", na casa alugada em Brasília por Vladimir Poleto. Investigado por tráfico de influência no governo, Poleto foi assessor de Palocci na prefeitura de Ribeirão Preto (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.