Nota do PPS critica duramente novo mínimo

O PPS divulgou nota intitulada ?1º de Maio ou 1º de abril?? criticando duramente o governo Luiz Inácio Lula da Silva por ter definido o valor do salário mínimo em R$ 260,00. O partido afirma que ?fica claro que (o governo) não possui uma política econômica transformadora e que o compromisso de dobrar o salário mínimo em quatro anos não passou de retórica de campanha?.O partido considera não haver ?justificativa moral para tal decisão? e diz que o segundo 1º de Maio do presidente Lula ?pode ser considerado um dia triste?. Na nota, o partido afirma que o aumento real de 1,21% ?beira a indignidade?, e considera que o governo ?praticou confisco contra quem vive do trabalho? ao deslocar o aumento do mínimo de 1º de abril para 1º de Maio e ainda critica o programa Fome Zero, ao argumentar que o salário mínimo é o principal instrumento de distribuição de renda no País. ?Ele, sim (o salário mínimo), se insere em uma grande política social, e não os programas temporários de políticas compensatórias, como o Fome Zero, que se desmoralizam após serem lançados.? O PPS, que integra a base aliada, cobra do governo um aumento maior para o mínimo. ?Cabe a um governo que se pretende popular transformar em prioridade, por sobre os bancos e os interesses financeiros e especulativos, a elevação urgente do valor do salário mínimo, em um período previamente definido?, afirma a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.