Nota diz que PF vai investigar 'vazamento' da Lava Jato

Informações de depoimento de Paulo Roberto da Costa acabaram sendo divulgadas pela imprensa

ANDREZA MATAIS, Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2014 | 21h33

A Polícia Federal informou, em nota, que abriu investigação para apurar "suposto vazamento à imprensa de informações protegidas por segredo de Justiça e contidas em depoimentos prestados por Paulo Roberto da Costa no âmbito da Operação Lava Jato." O inquérito foi instaurado em Curitiba (PR), onde estão concentradas as investigações da operação.

Na sexta-feira e no final de semana, o estadao.com e a revista Veja divulgaram informações sobre o depoimento do ex-diretor da Petrobras, que citou parlamentares, ministros e governadores que teriam recebido propina em troca de arranjar contratos na Petrobrás na área que ele comandava na empresa -- a diretoria de Abastecimento. O depoimento é uma tentativa de conseguir o perdão judicial por meio da delação premiada.

As revelações sobre o depoimento de Costa provocaram impacto na campanha da presidente à reeleição, assim como na da candidata Marina Silva. Além do ministro Edison Lobão, das Minas e Energia, Paulo Roberto também afirmou que a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, teve corrupção. A presidente Dilma Rousseff era presidente do conselho de administração da petroleira quando autorizou a compra da refinaria.

A presidente Dilma Rousseff também encaminhou no final de semana ao ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, pedido para que a Polícia Federal compartilhasse com o governo informações sobre o depoimento de Paulo Roberto envolvendo membros da sua equipe. O ministro enviou a solicitação ao comando da PF, "em nome da senhora presidenta" com um pedido para a instituição "verificar a viabilidade jurídica" de informar detalhes do depoimento envolvendo nomes de integrantes do governo. O jornal O Estado de S. Paulo apurou que a PF respondeu ao ministro que o depoimento está sob segredo de Justiça.

Tudo o que sabemos sobre:
PETROBRASDELAÇÃOPFNOTA OFICIAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.