Nota diz que Jader já foi inocentado

Em nota oficial, o gabinete da Presidência do Senado afirma que o caso das negociações consideradas irregulares com Títulos da Dívida Agrária (TDAs) envolvendo oo presidente da Casa, senador Jader Barbalho (PMDB-PA), foi apreciado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e que a matéria foi arquivada por ter sido considerada "improcedente, como está na edição de 24 de agosto de 1998 do Diário de Justiça ?. A nota diz, ainda, que o Tribunal de Contas da União (TCU) julgou as contas relativas ao período em que ocorreu o episódio das vendas de TDAs (no valor de R$ 4 milhões) e as considerou regulares. Por fim, a nota afirma que a AGU (Advocacia Geral da União) e o Incra consideraram "legal e correto o ato do ex-ministro" Jader Barbalho, que declarou de utilidade pública, para fins de reforma agrária, uma área que, depois, se revelou inexistente. "A tranqüilidade do senador Jader Barbalho é de tal ordem em relação aos fatos que credenciou judicialmente a AGU a representá-lo, na forma da legislação em vigor", afirma ainda o texto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.