Nota da SDS de PE explica ação da polícia em protestos

A Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco afirmou em nota divulgada hoje à noite que o policiamento dispersou a manifestação da Operação Sete de Setembro - que agregou grupos como Black Boc, Black Face e Anonymous - na tarde de hoje, na Praça do Derby, porque um manifestante desobedeceu à ordem policial de retirar a máscara e outros manifestantes tentaram resgatá-lo.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

07 de setembro de 2013 | 21h44

Dez jovens foram presos nas manifestações. Um pela manhã e os outros nove à tarde, na saída da passeata na Praça do Derby, que foi dispersada pelos policiais. Três deles eram menores. Todos foram liberados até o início da noite. A SDS informou que uma agência bancária da área foi depredada.

A polícia fez disparos de tiro de borracha e usou bombas de efeito moral e spray de pimenta contra os manifestantes. A SDS afirmou que toda a ação policial foi acompanhada por equipes da Corregedoria Geral da secretaria.

A prisão em flagrante do estudante Rodrigo Dantas, no final da manhã em uma estação do metrô, após o desfile oficial, foi por desobediência e resistência, de acordo com a polícia,. "O mesmo desobedeceu aos policiais militares quando estes impediam que mais uma vez vagões do metrô fossem depredados por grupos de manifestantes que usavam máscaras", justificou a nota. Dantas foi liberado depois de pagar fiança de R$ 1 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.