Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

'Nossa resposta virá em 2014', diz líder do PT na Câmara

Irmão de José Genoino se emocionou durante pronunciamento e criticou tratamento dado ao ex-presidente do PT que passou recentemente por cirurgia

Erich Decat, Agência Estado

19 de novembro de 2013 | 19h22

Brasília - Em discurso realizado no plenário da Câmara nesta terça-feira, 19, o líder do PT, deputado José Guimarães (CE), disse que a resposta da legenda às prisões dos condenados no mensalão "virá em 2014". Emocionado, o parlamentar fez referência à disputa eleitoral do próximo ano, quando a presidente Dilma Rousseff deverá se candidatar à reeleição. "É duro, a gente chora, a gente se abate [com as prisões]", disse.

No discurso, o deputado acusou de golpe as prisões de petistas que fizeram parte da cúpula da legenda, como o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, o ex-presidente do PT, José Genoino, que é seu irmão, e o tesoureiro do partido, Delúbio Soares. "O PT está doído, eu estou doído, mas encontrarei forças", afirmou.

Guimarães criticou a ação conduzida pela Polícia Federal, que transferiu os petistas condenados para o complexo penitenciário da Papuda, em Brasília, no último sábado, dizendo que os correligionários "estão preparados para enfrentar o espetáculo". E criticou, ainda, o tratamento dado ao seu irmão, que em meados deste ano passou por cirurgia cardíaca e chegou a ser atendido por médicos na cela em Brasília, após apresentar sinais de pressão alta. "Genoino não pode ficar onde está. Todo mundo sabe, visitem quem duvida. Seria bom que algum ministro do STF o visitasse", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoCâmara dos Deputados: STF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.