Pedro Venceslau /Estadão
Pedro Venceslau /Estadão

'Nós voltaremos ao poder pelo voto', diz Bolsonaro sobre militares

Pré-candidato foi recebido por multidão em Belém; em seu discurso, atacou o PSOL, MST e organizadores da polêmica exposição no MAM, que chamou de 'vagabundos'

Pedro Venceslau, enviado especial, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2017 | 22h51

BELÉM - No último discurso de sua passagem por Belém nessa quinta-feira, 5, o deputado Jair Bolsonaro (PSC- RJ) voltou a exaltar as Forças Armadas e disse que os militares, em um eventual govenro seu "voltarão ao poder pelo voto". 

O parlamentar, que é pré-candidato à Presidência da República, foi recebido por uma multidão no aeroporto de Belém no começo da tarde e seguiu em carreata pelas ruas de Belém em cima de um carro de som. 

O último evento deveria acontecer em um centro de convenções, mas foi transferido para a rua a pedido da Polícia Militar devido ao excesso de gente. 

Em seu discurso, Bolsonaro disse que os membros do PSOL "tem cérebro de ovo cozido", que o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho (PV-MA), "não seria nem faxineiro" em seu eventual governo e chamou de "vagabundos" os organizadores de uma exposição no MAM com um homem nu. 

"O Brasil precisa que a inocência das crianças seja respeitada. Esses vagabundos que fazem exposição com crianças passando a mão em homem nu devem ir presos. Eles pregam pedofolia", afirmou. 

O MST também foi alvo dos ataques do deputado. "Se depender de mim, vocês terão arma de fogo em casa. O homem do campo vai ter fuzil em sua propriedade para enfrentar o MST". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.