'Nós vamos vencer', diz Renan sobre votação de quarta-feira

A votação do relatório que pede a cassação do presidente do Senado foi adiada para semana que vem

Rosa Costa,

31 de agosto de 2007 | 14h09

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que ele e seus aliados vencerão a votação em que o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar decidirá, na próxima quarta-feira, se encaminha ou não ao plenário da Casa pedido de cassação do seu mandato.   Veja também: Íntregra do relatório que pede a cassação de Renan Relatório oficial do Conselho pede cassação de Renan Enquete: Você acredita que Renan será cassado?  Cronologia do caso Renan  Denúncias contra Renan abrem três frentes de investigação  Veja especial sobre o caso Renan    Renan estava saindo do Congresso, para almoçar, quando um repórter lhe perguntou o que achava da decisão de ontem do Conselho de utilizar o voto secreto, quarta-feira, na apreciação dos relatórios sobre o processo em que é acusado de quebra do decoro parlamentar. "Nós vamos vencer", limitou-se a responder o presidente do Senado.   Pouco antes, quando recebia em seu gabinete o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, conversou com o presidente do Conselho de Ética, senador Leomar Quintanilha (PMDB-TO), sobre a decisão do colegiado, por dez votos a cinco, de adotar o voto aberto na sessão da próxima quarta-feira, quando serão apreciados os relatórios sobre o processo em que Renan é acusado de quebra do decoro parlamentar.   De acordo com um parlamentar que assistiu à conversa, o presidente do Senado comentou que, no voto secreto, derrotaria os que defendem a cassação do seu mandato. "Eu tinha nove votos", disse, referindo-se à sua própria expectativa de que o Conselho realizasse ontem a votação adotando voto secreto.   O Conselho de Ética é composto por 15 senadores.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Renan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.