Nos Estados, pelo menos mais 39 demissões

Pelo menos 39 funcionários, entre auditores, delegados e delegados adjuntos da Receita deixaram os cargos ontem. Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco), a maior fatia - 24 funcionários - saiu de postos em São Paulo. O Rio Grande do Sul contabilizou 15 exonerações. Minas Gerais e os Estados no Nordeste não confirmaram saída de pessoal."A partir do momento que o superintendente se afasta, os que o cercam também colocam o cargo à disposição", explicou Pedro Delarue, presidente da Unafisco. "O novo superintendente agora vai ter o desafio de fazer reposição o mais rápido possível", disse. Para o presidente da Unafisco-SP, Edison Staibano, a saída de pessoal em São Paulo "é um processo quase normal". "Quando se altera a cúpula por decisão do governo, há mudança subsequentes de cargos de confiança."No Rio Grande do Sul, o primeiro a sair foi o ex-superintendente Dão Real Pereira dos Santos, que será substituído por Paulo Renato Silva da Paz. Dois superintendentes adjuntos, um assistente técnico da superintendência, cinco chefes de divisão, três delegados regionais, dois inspetores regionais e uma assessora de imprensa também desistiram das funções.Em Minas, não há confirmação do número exato de exonerações, mas dos 30 cargos de chefia "muitos" teriam feito contato com a superintendência da 6ª Região para deixar os cargos. Em Alagoas, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba, que compõem a 4ª Região, não houve "debandada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.