Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Nogueira assume prefeitura de Ribeirão Preto e diz não temer 'tempos difíceis'

Cidade enfrentava crise política após afastamento da então prefeita e de nove vereadores

Camila Turtelli e Rene Moreira, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2017 | 13h14

Ex-deputado federal, Duarte Nogueira (PSDB-SP) assumiu a prefeitura de Ribeirão Preto na manhã deste domingo, 1º, em cerimônia no Teatro Pedro II. Na posse, ele disse que sacrifícios serão necessários e que não teme as dificuldades financeiras, políticas e administrativas que a cidade enfrenta, após o afastamento de nove vereadores e da então prefeita em 2016.

"Pela imprevidência e irresponsabilidade de alguns, não devemos e nem iremos temer os desafios que teremos pela frente. O futuro nos será recompensador", afirmou.

Durante o discurso de posse, Nogueira falou que será preciso ter paciência e tomar um "remédio amargo" no início do governo, mas que "o futuro será recompensador". Além disso, afirmou que terá "toda determinação e coragem para cumprir os compromissos a fim de devolver a cidade em desenvolvimento".

O novo prefeito afirmou ter escolhido os membros de seu governo levando em consideração a "capacidade técnica". No entanto, diz estar ciente de que a situação na prefeitura está complicada. "Os resultados podem demorar para aparecer", explicou.

Durante a cerimônia, ele também homenageou o pai, Antonio Duarte Nogueira, morto em 1990 e prefeito da cidade em duas gestões (de 1969 a 1973 e entre 1977 e 1983), e disse trazer "no sangue a aptidão para a política". 

Transmitida pela internet, a cerimônia também oficializou a posse do vice-prefeito, Carlos Cezar Barbosa (PPS), e dos vereadores eleitos para o mandato de 2017 a 2020. Dos vereadores eleitos somente Capela Novas (PPS) não foi empossado por decisão da Justiça, devido ao fato de estar sendo investigado pela Operação Sevandija, que apura corrupção na política local.

Após a cerimônia, Nogueira seguiu para o Palácio Rio Branco, onde empossará seus secretários. Ele deve anunciar ainda nesta tarde um pacote com as primeiras ações enquanto prefeito. "Precisamos tomar medidas fortes que podem ser incompreendidas em um primeiro momento", alertou.

A gestão de Nogueira terá um orçamento estimado de R$ 2,22 bilhões, além de uma dívida de curto prazo de R$ 233 milhões com mais de 120 fornecedores e outros R$ 720,5 milhões de dívida de longo prazo.

Situação política. Nogueira assume em meio a uma das maiores crises de Ribeirão Preto, considerado um dos principais polos do agronegócio brasileiro. Em setembro, a "Operação Sevandija", coordenada pelo Ministério Público (MP) e pela Polícia Federal (PF), prendeu secretários e afastou vereadores suspeitos de envolvimento em uma série de esquemas que pode ter desviado mais de R$ 200 milhões dos cofres públicos.

Na ocasião, a então prefeita Dárcy Vera (PSD) foi afastada e chegou a ser presa no dia 2 de dezembro. Seu vice, Marinho Sampaio (PMDB), empossado vereador na cerimônia deste domingo, não aceitou substituí-la na prefeitura, enquanto o presidente da Câmara, Walter Gomes (PTB), também não pode exercer o cargo, pois, juntamente com outros oito vereadores, estava afastado por suspeita de envolvimento em esquema de desvio de recursos. Desse forma, no último mês, a prefeitura da cidade estava sob comando da presidente interina da Câmara, Gláucia Berenice (PSDB).

Tudo o que sabemos sobre:
PosseRibeirão PretoDárcy VeraPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.