No último debate, Aécio aborda economia e corrupção

Na preparação para o último debate presidencial antes do dia das eleições, o candidato do PSDB, Aécio Neves, deve concentrar parte da estratégia de ataque em três eixos: fracasso econômico, corrupção e má gestão do governo Dilma. O último encontro entre os dois candidatos, antes do termino do segundo turno ocorrerá na noite desta sexta-feira, 24, promovido pela Rede Globo.

ERICH DECAT, Estadão Conteúdo

23 de outubro de 2014 | 20h21

"Essas são as linhas clássicas que serão mantidas", afirmou um dos coordenadores da campanha presidencial do PSDB, deputado federal, Marcus Pestana. O tucano despistou ao ser questionado sobre a possibilidade de serem levantadas novas acusações contra a presidente Dilma. "Nosso pessoal tem um banco de dados abrangente e é muito trabalhador", afirmou.

Na análise de Pestana, o modelo do debate vai beneficiar o candidato do PSDB, assim como ocorreu no primeiro turno, quando Aécio foi considerado vitorioso entre os demais candidatos. "Será igual ao modelo norte-americano, em que o candidato poderá circular pelo palco. O Aécio é muito seguro e há uma diferença bruta na preparação em comparação à Dilma. Ele não fica como um robô na mão de marqueteiro", afirmou. O debate deverá contar com dois blocos com perguntas de eleitores indecisos que estarão no estúdio e dois blocos com embate direto entre os candidatos.

Tudo o que sabemos sobre:
ELEIÇÕESRIOAÉCIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.