Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

No Twitter, posse de Bolsonaro reflete polarização da campanha eleitoral

Levantamento do ‘Estado’ mostra que provocações à oposição e críticas à imprensa dominam postagens

Cecília do Lago, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2019 | 22h31

No dia da posse de Jair Bolsonaro como presidente da República, o assunto que mais deu audiência a apoiadores de primeiro escalão do novo governo não foram comentários, comemoração ou elogios à sua cerimônia em Brasília. Mas sim provocações à oposição e à imprensa, repetindo polarização política que havia dominado a campanha eleitoral.

É o que mostra um levantamento feito pelo Estado utilizando a ferramenta Crowdtangle. Durante o dia da posse, a conversa foi dominada pelos três filhos de Bolsonaro: Eduardo, Carlos e Flávio, com 30%, 15% e 14% de participação, respectivamente. Isso os coloca na liderança do ranking. Em quarto lugar, vem a deputada federal eleita Carla Zambelli (PSL-SP), com 11%.

As postagens que mais se destacaram não tinham relação com posse. O campeão de audiência foi um tuíte de Carlos Bolsonaro, com uma provocação à imprensa, retuitado mais de 2.700 vezes pelos usuários do Twitter. Já o “Feliz 2019” de Onyx Lorenzoni atraiu uma audiência 13,4 vezes maior do que a média esperada para a página do ministro da Casa Civil do novo governo.

Nos primeiros dias do ano, devido às festas e feriados, as redes sociais tendem a ter baixo engajamento, mas o dia da posse conseguiu chegar perto do pico atingido na semana pós segundo turno, de 28 de outubro a 3 de novembro. As redes ficaram muito aquecidas quando Jair Bolsonaro foi escolhido presidente.

Metodologia

 O levantamento considerou como base de Bolsonaro 45 contas no Twitter de autoridades do PSL de alto escalão – deputados federais, ministros e governadores – e de figuras próximas ao Presidente, conselheiros, os filhos e a primeira-dama Michelle.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.