No Twitter, Dilma volta a criticar espionagem dos EUA

Presidente diz que violação de privacidade pelos Estados Unidos não é algo recente e cobra mudanças no sistema norte-americano

Agência Estado

06 de outubro de 2013 | 15h53

A presidente Dilma Rousseff voltou a comentar em sua conta no Twitter a espionagem dos Estados Unidos ao Brasil. No perfil @dilmabr, a presidente afirmou ter recebido um livro do jornalista James Bamford sobre o sistema de espionagem norte-americano. Publicado em 2008, The Shadow Factory: The Ultra-Secret NSA from 9/11 to the Eavesdropping on America (algo como A fábrica de sombras: a ultra-secreta NSA do 11/9 à espionagem da América), mostra, segundo Dilma, que "vem ocorrendo há mais tempo o que apareceu agora: espionagem a cidadãos brasileiros (inclusive eu), cias e ministérios".

A conclusão do livro, de acordo com a presidente, é que "aumenta a capacidade tecnológica para espionar c/ total descontrole sobre quem acessa os dados". Nas mensagens, Dilma voltou a cobrar explicações e mudanças de comportamento por parte dos americanos e relembrou ter denunciado o caso na assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU) como uma violação dos direitos humanos e da soberania do País.    

 

Na publicação, Bamford descreve a transformação da Agência Nacional de Inteligência (NSA, na sigla em inglês) desde os atentados de 11 de setembro de 2001, quando o órgão começou a usar alta tecnologia para monitorar dados. Com detalhes perturbadores, o livro fala como essas informações são monitoradas e processadas.

A presidente aproveitou para informar que enviou ao Congresso uma nova proposta de Marco Civil da Internet, uma iniciativa que, segundo ela, "irá ampliar a proteção da privacidade dos brasileiros." O projeto deve ser apreciado nas próximas semanas. Dilma também disse que enviará uma proposta de marco civil internacional à ONU assim que o projeto nacional for aprovado.

 

 

Após as denúncias de espionagem, Dilma decidiu cancelar sua viagem oficial aos Estados Unidos, marcada para o dia 23 de outubro. As respostas dadas até agora sobre os vazamentos do ex-técnico da NSA Edward Snowden - que mostram o monitoramento de conversas da própria Dilma e de dados da Petrobrás - não foram satisfatórias, na avaliação da presidente.

Na noite deste domingo, 6, o programa Fantástico, da Rede Globo, deve trazer reportagem sobre a atuação da espionagem norte-americana no Ministério de Minas e Energia. As reportagens são baseadas em documentos vazados por Snowden.

Esporte

Dilma aproveitou a tarde para parabenizar o atleta Arthur Zenetti, ouro nas argolas no Mundial de Ginástica Olímpica, e para comemorar os 4,5 milhões de inscritos para comprar ingressos da Copa de 2014. "É um recorde em relação aos outros torneios."

Política

Dilma Rousseff também expressou sua solidariedade à presidente argentina Cristina Kirchner, que está em repouso médico por causa de complicações de um traumatismo craniano. "@CFKArgentina é amiga do Brasil e minha amiga. #FuerzaCristina".

Apesar da forte presença no Twitter, Dilma não se pronunciou sobre as recentes mudanças no cenário político brasileiro. Em nenhuma de suas mensagens, citou os potenciais adversários para as eleições de 2014, Eduardo Campos e Marina Silva.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmaespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.