No Sul, Dilma cobra dos Estados a Bolsa Família

A presidente Dilma Rousseff pediu aos Estados que ampliem, na medida de suas possibilidades, os valores repassados pela União aos beneficiários do Bolsa Família. "Faço um apelo aos governadores para que possamos ampliar a renda das famílias", conclamou, durante discurso na cerimônia de assinatura de adesão dos governos dos três Estados do Sul ao programa Brasil Sem Miséria, hoje, em Porto Alegre. "Não podemos esperar que os Estados mais pobres o façam", reconheceu. "Mas gostaremos de fazer um esforço nesse sentido."

ELDER OGLIARI, Agência Estado

14 de outubro de 2011 | 22h31

Dilma citou o Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo como Estados que já complementam o Bolsa Família. Em junho, o Rio Grande do Sul também lançou programa semelhante: o Mais Igual, que concede R$ 50 mensais aos beneficiários do programa que frequentam cursos de alfabetização, formação e qualificação profissional.

A cerimônia na capital gaúcha contou também com a presença de sete ministros, dos governadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná e de cerca de mil pessoas vinculadas a movimentos sociais e assistenciais. O governo federal estima que 716 mil pessoas vivem em situação de miséria no Sul do País, sendo que 61% delas em áreas urbanas.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaRSBolsa Família

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.