No Senado, Jobim desmentirá envio de armas para a Venezuela

Ministro da Defesa diz que 'não há fundamento' denúncia de entidade internacional de exportação secreta

REUTERS

04 de março de 2008 | 18h42

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, vai ao Senado nesta quarta-feira para afirmar que não tem fundamento a denúncia de entidade internacional de que o Brasil estaria exportando armas secretamente para a Venezuela. Mais cedo, o senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) citou denúncia do World-Check -- Financial Crime Consultant, que monitora ações bélicas no mundo de que "quatro vôos secretos estão programados para irem à Venezuela, através da TAM, transportando 31,5 toneladas de armas de fogo fabricadas no Brasil". Ainda segundo o documento do World-Check, lido por Virgílio, "o primeiro vôo já partiu, carregando 1,5 tonelada de armamentos, e cada vôo adicional está programado para carregar 10 toneladas." Diante do que classificou de, a ser verdade, um fato desestabilizador e da maior gravidade, Virgílio sugeriu a convocação do ministro da Defesa para prestar esclarecimentos. Nelson Jobim preferiu nem esperar a convocação e decidiu comparecer imediatamente ao Senado para esclarecer a questão. "Não tem fundamento", disse Jobim em nota divulgada pela assessoria do Ministério da Defesa.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAJOBIMARMASVENEZUELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.