No Senado, Ideli fez defesa do governo e aliados

A nova ministra das Relações Institucionais do governo Dilma Rousseff, Ideli Salvatti, é uma paulista radicada em Santa Catarina. Foi a primeira mulher eleita senadora no Estado, onde ajudou a fundar o PT catarinense. Ex-líder do PT no Senado e ex-líder do governo no Congresso, Ideli notabilizou-se pela postura combativa em defesa do governo federal e dos aliados. Os enfrentamentos - algumas vezes truculentos - no parlamento fizeram com que ela ganhasse da oposição o apelido de "pitbull do governo".

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

10 de junho de 2011 | 17h04

A atuação da petista à frente da liderança do PT no Senado sobressaiu-se durante a crise do mensalão, quando ela não teve receio de sair em defesa do governo federal. Depois, durante as crises políticas no Senado que tiveram como protagonistas os senadores do PMDB José Sarney (AP) e Renan Calheiros (AL), Ideli encabeçou as articulações junto à base aliada para que eles fossem absolvidos no Conselho de Ética.

Em 2007, a então senadora enfrentou denúncias de envolvimento em supostas fraudes na Federação de Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf) da Região Sul, investigadas pela CPI das ONGs. As acusações eram de que essa organização não-governamental, ligada a Ideli, teria recebido R$ 5,2 milhões, entre 2003 e 2007, do governo federal. O Ministério Público Federal acusou a entidade de desviar dinheiro público que deveria ser usado para qualificar mão de obra na área rural para a realização campanhas petistas.

O perfil combativo, a lealdade inquestionável ao governo e a experiência parlamentar são os requisitos que a qualificaram junto à presidente Dilma Rousseff para conquistar a coordenação política do Planalto. Dilma, no entanto, ouviu do PMDB que a catarinense não teria trânsito entre as bancadas da Câmara e junto à oposição.

Ideli foi indicada para comandar o Ministério da Pesca no início do governo Dilma. Foi essa a acomodação encontrada para a aliada que saiu derrotada da corrida para o governo de Santa Catarina em 2010. Antes de se eleger senadora em 2002, Ideli exerceu dois mandatos consecutivos de deputada estadual: 1995 a 2003. Licenciada em Física pela Universidade Federal do Paraná, a ministra é casada e tem dois filhos.

Tudo o que sabemos sobre:
IdeliSenadoRelações Institucionais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.