No RS, Tarso amplia vantagem nas pesquisas de intenção de voto

Candidato ao governo pelo PT mantém liderança e pode vencer no 1º turno

Elder Ogliari, de O Estado de S. Paulo

17 de setembro de 2010 | 12h08

PORTO ALEGRE - O candidato do PT ao governo do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, ampliou a vantagem sobre os concorrentes em pesquisa do Datafolha divulgada pelo jornal Zero Hora nesta sexta-feira. A sondagem, feita nos dias 13 e 14 de setembro, mostra o petista com 44% das intenções de voto na modalidade estimulada, seguido por José Fogaça (PMDB), com 24%, Yeda Crusius (PSDB), com 11%, e Pedro Ruas (PSOL) e Montserrat Martins (PV), com 1% cada. Os demais candidatos não chegaram a 1%. No levantamento anterior, dos dias 8 e 9 de setembro, Tarso tinha 42%, Fogaça 26% e Yeda 13%.

 

Na modalidade estimulada, uma faixa de 14% dos entrevistados ainda não sabe em quem vai votar. Se a distribuição desses votos fosse proporcional à dos demais, Tarso venceria a eleição no primeiro turno. Na modalidade espontânea, que mostra um voto mais consolidado, Tarso tem 30% da preferência enquanto Fogaça fica com 13% e Yeda com 8%, enquanto os que não sabem chegam a 42%, um contingente de eleitores capaz de provocar reviravoltas na reta final. Yeda tem a maior taxa de rejeição, de 44%. Nesse quesito, Tarso e Fogaça têm índices parecidos, de 15% e 14% respectivamente.

 

A mesma sondagem retratou o momento da corrida eleitoral para a presidência da República no Rio Grande do Sul. Dilma Rousseff (PT) continuou crescendo, passando de 43% (em 8 e 9 de setembro) para os atuais 45%. José Serra (PSDB) recuou de 38% para 34%, assim como Marina Silva (PV), de 8% para 7%.

 

A pesquisa, solicitada pelo Grupo RBS e jornal Folha de S. Paulo, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral com o número 46.872/2010 e no Tribunal Superior Eleitoral com o número 30.022/2010. Foram entrevistados 1.255 eleitores de 49 municípios nos dias 13 e 14 de setembro. A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.