No RS, PPS pode voltar à aliança de Yeda e indicar vice

A coligação que vai tentar reeleger a governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), espera receber a adesão do PPS nos próximos dias. O partido era aliado de primeira hora da tucana, mas havia se afastado da composição por discordar da aliança que o PSDB fez com o PP para a Câmara Federal. O acordo voltou a se tornar viável nesta semana porque o PP abriu mão da indicação do vice-governador na chapa majoritária, deixando o cargo em aberto para ser ocupado pelo PPS. "Isso robustece a candidatura da governadora", afirma o presidente estadual do PP, Pedro Bertolucci.

ELDER OGLIARI, Agência Estado

17 de junho de 2010 | 19h43

Pelo novo acordo, Yeda terá um vice do PPS - provavelmente o deputado estadual Berfran Rosado, com quem tem afinidades políticas - e a chapa lançará apenas um candidato ao Senado, a jornalista Ana Amélia Lemos (PP), que ficará com mais tempo de televisão para se apresentar aos eleitores. Os três partidos formarão coligação também para a Câmara Federal, porém vão disputar as cadeiras da Assembleia Legislativa separados.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoYedaaliançaRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.