No Rio, Lula visita favela Dona Marta e elogia UPPs

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou seis ministros hoje à favela Dona Marta, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, para o lançamento de um projeto de turismo apoiado pelo governo federal. Em discurso na quadra da escola de samba do morro, Lula elogiou o programa das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), iniciado na favela em dezembro de 2008 pelo governo de Sérgio Cabral Filho (PMDB) e recém-incorporado à campanha da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.

FELIPE WERNECK, Agência Estado

30 de agosto de 2010 | 15h23

"O que foi feito aqui pelo governo do Estado do Rio é um exemplo que está sendo seguido por outros Estados, e eu acho que é um exemplo que a gente vai conseguir implantar nos próximos anos em todo o território nacional", discursou o presidente. Lula disse que participava da inauguração "sobretudo por um pedido do governador", sem citar o nome de Sérgio Cabral Filho, candidato à reeleição.

Apesar da presença do presidente e de mais de 20 autoridades no palco, menos de cem moradores da favela participaram do evento - dois terços da quadra ficaram vazios durante os discursos. Cabral foi representado pela mulher, a primeira-dama Adriana Ancelmo Cabral, anunciada pelo locutor durante o lançamento. "Não posso falar aqui o nome do governador Sérgio Cabral, mas faço questão de registrar aqui", discursou o prefeito Eduardo Paes (PMDB), que citou "os avanços na segurança" na atual gestão do governo do Estado.

Ele acrescentou que, por causa da UPP, hoje não precisa mais de vidro blindado no Palácio da Cidade, vizinho da favela, onde fica o seu gabinete. Em todo o trajeto percorrido pelo presidente na parte baixa da favela, onde fica a quadra, havia grades de ferro para impedir o acesso de pessoas não autorizadas. Lula também visitou a sede da UPP, no alto do morro. O programa de turismo, Rio Top Tour, é uma parceria do governo do Estado com o Ministério do Turismo.

Tudo o que sabemos sobre:
LulavisitaDona MartaUPPsRJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.