No Rio Grande do Norte, TRF solta filho de governadora

Os últimos seis acusados de envolvimento nas fraudes em licitações e desvios de verba pública no governo do Rio Grande do Norte foram soltos ontem pela Justiça. A libertação ocorreu com base no julgamento do mérito de habeas-corpus impetrado no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, no Recife (PE).Deixaram a sede da Polícia Federal em Natal o advogado Lauro Maia, filho da governadora Wilma de Faria; o secretário-adjunto de Esportes, João Henrique Lins Bahia; a procuradora estadual Rosa Maria D?Apresentação Câmara; a coordenadora de execução financeira da Secretaria de Saúde, Maria Eleonora Lopes Castim, e os empresários Herbeth Florentino Gabriel e Mauro Bezerra. Eles negam envolvimento nas irregularidades.Os seis estavam detidos desde sexta-feira passada, quando a PF deflagrou a Operação Hígia. O governo estadual anunciou ontem que os funcionários públicos suspeitos serão afastados de suas funções.Mesmo sem ter sido detido, o secretário de Saúde, Adelmaro Cavalcanti, vai perder o cargo. Na segunda-feira, Wilma anunciará uma reforma no secretariado e deve substituí-lo pelo atual titular de Assuntos Institucionais, Ruy Pereira. Segundo o governo, a reforma já estava prevista havia um mês.Anteontem à noite, o secretário de Segurança Pública, Carlos Santa Rosa D?Albuquerque Castim, também colocou o cargo à disposição. Ele é casado com Maria Eleonora, liberada ontem, e alegou que precisa se dedicar à defesa da mulher. Rosa D?Apresentação foi afastada ontem da presidência da Comissão Permanente de Licitação da Procuradoria-Geral do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.