Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

No retorno do Judiciário, Janot defende combate à corrupção

'Desafios que temos pela frente não são poucos', disse o procurador-geral a República na sessão solene que marcou o começo do ano no Judiciário

Beatriz Bulla e Talita Fernandes, O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2015 | 11h17

BRASÍLIA - Em discurso na abertura do ano Judiciário, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, defendeu o fortalecimento do combate à corrupção como um dos temas que merecem "real atenção" dos poderes constituídos. "Os desafios que temos pela frente não são poucos", disse Janot.

O PGR deve encaminhar até o final de fevereiro ao Supremo Tribunal Federal (STF) os inquéritos e denúncias contra parlamentares envolvidos na Operação Lava Jato. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, também participa da sessão solene realizada nesta manhã pelo STF. Cunha é um dos nomes que podem ter o pedido de inquérito encaminhado à Corte por Janot.

No discurso, Janot defendeu a "a solidificação do combate à corrupção como fortalecimento das instituições e do regime democrático" e avaliou que a estratégia até agora adotada, de seguir o caminho do dinheiro nas investigações, "parece ter sido correta".

"A responsabilidade institucional (do Ministério Público), que não é pequena, ganha maior dimensão no momento nacional vivido", disse o PGR. "Os desafios que se avizinham hão de ser enfrentados com serenidade, firmeza", completou. 

Entre os temas que devem ser discutidos na Justiça neste ano, Janot destacou ainda o balizamento em relação a financiamento de campanhas eleitorais e a discussão sobre a Lei de Anistia. 

*

Mais conteúdo sobre:
STF Rodrigo Janot corrupção PGR

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.