No rádio, Haddad comemora pesquisa e PSDB critica PT

Programa eleitoral de Serra aproveitou para criticar a educação municipal durante gestão de Marta Suplicy

AE, Agência Estado

18 de outubro de 2012 | 13h57

A campanha do candidato do PT a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, comemorou no horário eleitoral de rádio, transmitido entre 12h e 12h20, o resultado da mais recente pesquisa Ibope, divulgada nesta quarta-feira, 17, que o coloca 16 pontos à frente do seu adversário neste segundo turno, o tucano José Serra. A pesquisa mostrou Haddad com 49% das intenções de voto contra 33% de Serra. Por sua vez, o programa tucano escalou o vice de Serra, Alexandre Schneider (PSD), ex-secretário municipal da Educação, para criticar a educação municipal no governo da petista de Marta Suplicy.

Para Schneider, o PT deixou as escolas municipais em "petição de miséria". "Não dava para o professor dar aula. (Havia) escolas de lata, com o turno da fome, falta de professor e salário baixo. Essa era a educação na época do PT", criticou o vice.

Schneider também apresentou dados segundo os quais a educação paulistana teria evoluído quando ele comandou a pasta. Indagado pela apresentadora sobre como era o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) na época do PT, ele disse: "Metade das escolas tinha Ideb abaixo de 4. Por outro lado, acima de 5, apenas 2,7%. Hoje já são mais de 35% de escolas com Ideb acima de 5", falou o vice, ressaltando que o primeiro índice foi calculado em 2005, um ano após a saída de Marta da Prefeitura. "Portanto, pegou as notas das crianças que estudaram na época do PT", explicou.

O programa também citou os problemas de vazamento de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ocorridos na gestão Haddad no Ministério da Educação, dizendo que o petista foi o "pior ministro da Educação que o Brasil já teve". Serra apareceu no programa conversando com o governador Geraldo Alckmin e debatendo as parcerias que existem entre Prefeitura e Estado para a construção de metrôs e trens. Ao final, um narrador lembrou que hoje à noite ocorre o primeiro debate na TV do segundo turno.

A pesquisa Ibope divulgada quarta-feira foi mencionada durante o programa petista, que ressaltou a liderança de Haddad. "Nos votos válidos, deu Haddad disparado com 60% contra 40% de Serra", disse um narrador que, em seguida, também convocou os ouvintes a acompanharem o debate da TV à noite.

Haddad respondeu às críticas do adversário de que não teria feito nada por São Paulo quando era ministro, dizendo que não contou com a cooperação da Prefeitura para fazer mais. "Nós prometemos trazer uma universidade federal na zona leste e o prefeito (Gilberto Kassab, PSD) está há três anos para desapropriar o terreno e não faz. A mesma coisa com a escola técnica da zona norte. Há um ano e meio estamos aguardando o prefeito desapropriar o terreno e ele não o faz", rebateu Haddad.

Haddad defendeu o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), dizendo que é o segundo maior exame de admissão em faculdades do mundo. Sobre o escândalo de vazamento de provas, disse que os culpados foram "prontamente identificados" e respondem a processos na Justiça. "Os críticos do Enem nunca questionaram o velho elitismo do velho vestibular", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.