No rádio, Dilma promete reforçar ações do Mais Médicos

A presidente Dilma Rousseff reforçou nesta terça-feira, 05, que o governo está determinado a reforçar as ações do programa "Mais Médicos". "Vamos seguir firmes nesse caminho, pois ele significa muito mais saúde para o povo brasileiro", afirmou na edição desta terça-feira (6) da coluna "Conversa com a Presidenta".

AYR ALISKI, Agência Estado

05 de novembro de 2013 | 11h54

"Vamos continuar abrindo chamadas até atingir 13 mil médicos no final de março do ano que vem, dando assistência básica a mais de 46 milhões de pessoas, quase a população da Argentina", destacou Dilma na coluna de hoje. Esse material é publicado semanalmente em cerca de 200 jornais brasileiros.

Dilma reforçou que o "Mais Médicos" significa tornar realidade o Pacto pela Saúde que foi proposto em junho a governadores e a prefeitos. Naquela data, a presidente convocou reunião, no Palácio do Planalto, e propôs um conjunto de ações do setor público, em reação à onda de manifestações populares que tomou conta das ruas em todo o País.

Na área da saúde, Dilma frisou hoje que o governo está agindo para ampliar o acesso e melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população. Para tanto, há foco nos investimentos em obras e na compra de equipamentos; mas também com aumento de profissionais disponíveis para o atendimento da população, pelo "Mais Médicos".

A presidente lembrou que esta semana estão chegando novos profissionais para o programa e, com isso, o Mais Médicos já contará com 3.664 médicos. Serão atendidas periferias de grandes cidades, as médias cidades, o interior do País, em todas as regiões do país, mas com prioridade ao Norte e Nordeste. Também estão na lista distritos indígenas e comunidades quilombolas. "Até o fim deste ano o número subirá para mais de 6,6 mil médicos, cobrindo cerca de 23 milhões de pessoas", destacou.

Em dezembro, será feita uma nova chamada para o "Mais Médicos", destacou hoje Dilma. As vagas que não forem preenchidas por profissionais formados no Brasil serão oferecidas aos formados no exterior, assim como nas etapas anteriores. Pouco a pouco, a meta é atingir 13 mil médicos no final de março do ano que vem, dando assistência básica a mais de 46 milhões de pessoas. "Quase a população da Argentina", ressaltou a presidente.

Dilma destacou hoje, também, que estão sendo realizadas ações para aumentar a formação de médicos no Brasil. "Serão 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina até 2017, quase metade delas no Norte e no Nordeste", afirmou.

Ela lembrou, ainda, dos investimentos em postos de saúde. Segundo ela, em parceria com os municípios, já foram concluídas obras em mais de 4 mil postos de saúde em todo o Brasil. "Estamos fazendo obras de ampliação e de reforma em outros 16,7 mil postos de saúde e estamos construindo mais 6,2 mil postos", reforçou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.