No rádio, Dilma diz que respeito ao Brasil cresce

A presidente Dilma Rousseff afirmou, no programa de rádio "Café com a Presidenta" que foi ao ar hoje, ter se sentido honrada em discursar quarta-feira passada na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York. Dilma destacou o respeito que as posições brasileiras vêm ganhando no exterior e defendeu a necessidade de envolver todos os países na busca de uma saída para crise econômica internacional.

AE, Agência Estado

26 Setembro 2011 | 11h28

"Eu estava representando ali o Brasil, um país que vem tendo cada vez mais destaque no cenário internacional", afirmou, de acordo com a íntegra do programa publicada pelo Blog do Planalto. "A força do nosso país e as opiniões do nosso povo estão sendo cada vez mais respeitadas lá fora."

Dilma lembrou que abordou a crise financeira mundial em seu discurso. "Falei da crise econômica internacional porque o mundo vive um momento muito delicado", comentou. "É uma crise financeira que nasceu nos países mais ricos e está deixando milhões e milhões de desempregados em todo o mundo, em especial nos países mais ricos. A posição defendida pelo Brasil na ONU é de que a saída para a crise econômica mundial deve ser discutida por todos os países juntos."

O discurso de abertura do encontro da ONU é tradicionalmente reservado ao Brasil, mas Dilma foi a primeira mulher da história a abrir uma Assembleia Geral das Nações Unidas. A presidente salientou que "os caminhos para a participação da mulher estão cada vez mais abertos no mundo inteiro", mas avaliou que ainda há muito o que avançar. "A ONU Mulheres, liderada pela ex-presidente do Chile, Michelle Bachelet, é um passo importante para coordenar as ações e políticas de apoio às mulheres em todo o mundo", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
DilmaCafé com a Presidenta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.