No Pará não falta dinheiro para campanha do PT

O coordenador da campanha, André Farias, discorda da relação entre gastos eleitorais e a miséria do povo do Estado

Carlos Mendes, de O Estado de S.Paulo

09 Julho 2010 | 07h39

BELÉM - Dono de um dos maiores orçamentos de campanha do País, o PT paraense prevê gasto de R$ 47 milhões para tentar reeleger a governadora Ana Júlia Carepa. A assessoria da governadora argumenta que esse montante está dentro da margem de "expectativa de arrecadação", que inclui até mesmo eventuais despesas com o segundo turno da eleição.

 

Veja também:

 

 

Roraima deve ter a campanha mais cara do País, com R$ 116 por voto

 

 

Lúcio Alcântara, com gasto de R$ 50 mi, só fica atrás de Alckmin

 

 

As grandes distâncias a serem percorridas pelos candidatos e seus cabos eleitorais, além do tamanho do Pará, segundo maior Estado do País em extensão territorial, também justificariam o volume de gastos, segundo a assessoria da governadora.

 

A governadora tem hoje um avião à disposição, mas ela não poderá usá-lo por causa da legislação eleitoral. Como candidata, o partido dela terá de contratar um avião só para os seus deslocamentos eleitorais pelo Estado. Mais um argumento usado pelos petistas para as elevadas despesas da campanha.

O coordenador da campanha, o ex-secretário de governo André Farias, discorda da relação entre gastos eleitorais e a miséria do povo do Estado. "Não tem nada a ver uma coisa com a outra", diz ele. E justifica: "O custo do transporte, no Pará, é um dos mais altos do país. Só de avião, para atravessar o Marajó, uma das regiões mais pobres do país, gasta-se 1h40. E a miséria está sendo combatida pelo governo PT, que já melhorou muito os índices que eram negativos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.