No novo mandato, meta é livrar SP de camelôs

Durante toda a campanha o prefeito Gilberto Kassab guardou um projeto - que ele chama "um sonho" - para sua segunda gestão: acabar, até 2012, com o comércio ambulante irregular praticado nas ruas da cidade.A idéia de Kassab tem duas pontas. Numa delas a prefeitura vai multiplicar a criação, mediante mecanismos de incentivos e parcerias, de shoppings populares, os quais abrigariam os ambulantes regularizados.Noutra, a prefeitura estudará formas para simplificar os mecanismos de regularização de ambulantes, reduzindo, tanto quanto possível, a burocracia que ainda atrapalha o registro de novos comerciantes.Domingo, enquanto aguardava a pesquisa de boca-de-urna que o confirmaria como prefeito reeleito, Kassab revelou a amigos e aliados, na sala de seu apartamento, que não aprofundou o tema durante a campanha porque poderia parecer um ato demagógico. Mas que começará a estudar as medidas a adotar antes mesmo de sua posse no segundo mandato. O seu "sonho" prevê uma São Paulo livre de camelôs até o fim de sua segunda gestão.Enquanto pensa nos atos que marcarão o início do segundo mandato, Kassab já pensa na estruturação de sua futura equipe. E começou a enfrentar o primeiro problema antes da vitória no segundo turno. Ele revelou ao presidente estadual do PMDB, Orestes Quércia, e a sua vice, Alda Marco Antonio, que a convidaria para assumir a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social. Alda recusou. Disse que não tem intenção de trabalhar na área que a consagrou e prefere ficar como auxiliar geral do prefeito.Kassab contou a amigos que vai convidar sua adversária Marta Suplicy para a inauguração do CEU Vila Formosa, cuja solenidade marcou para fevereiro. Na campanha, Marta afirmou que a obra não ficaria pronta na data marcada. Kassab a acusou de não entender de obras e confirmou que o CEU ficaria pronto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.