Alan Santos/PR
Alan Santos/PR

No Nordeste, Bolsonaro faz aceno ao Congresso e chama parlamentares de ‘sócios’

‘Com o time que nós temos, com os nossos sócios, no bom sentido, nós atingiremos os nossos objetivos’, afirmou em Mossoró (RN), um dia após o governo conseguir manter a proibição de reajuste de servidores públicos até 2021

Julia Lindner, Renato Vasconcelos e Higo Lima, especial para o Estadão, O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2020 | 11h39
Atualizado 21 de agosto de 2020 | 15h45

BRASÍLIA e MOSSORÓ – Em mais uma viagem ao Nordeste nesta sexta-feira, 21, o presidente Jair Bolsonaro fez um aceno ao Congresso e chamou os parlamentares de “sócios”. “Com o time que nós temos, com os nossos sócios, no bom sentido, no Congresso Nacional, nós atingiremos os nossos objetivos”, afirmou o presidente em Mossoró. Bolsonaro viajou ao Rio Grande do Norte acompanhado de ministros e lideranças do Centrão, como o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI).

Durante a fala do presidente, que durou menos de três minutos, ele também citou os parlamentares em mais um momento para agradecê-los. “Agradecer também a grande parte do Congresso Nacional, onde temos valorosos parlamentares aqui, que têm nos dado o apoio para que esse sonho, esse objetivo seja concretizado. Obrigado, senhores parlamentares”, disse o presidente. Depois, na cidade de Ipanguaçu, elogiou os representantes da bancada do Rio Grande do Norte presentes no evento. “Parlamentares muito valorosos que mantiveram um veto muito importante no dia de ontem.” 

Na quinta-feira, 20, após forte investida, juntamente com os partidos do Centrão e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o governo conseguiu manter a proibição de reajuste de servidores públicos até 2021. O veto do presidente Jair Bolsonaro foi mantido por 316 votos a 165 votos. A medida tinha sido derrubada pelo Senado no dia anterior e, para reverter a situação, foi costurado um acordo envolvendo a prorrogação do auxílio emergencial e liberação de recursos do Orçamento ainda este ano. Esses dois pontos já estavam em negociação, antes da derrubada do veto pelo Senado, mas deputados ganharam maior poder de influência depois da decisão dos senadores.

Visita a seis cidades do Nordeste desde o fim de junho

Antes de visitar Mossoró e Ipanguaçu nesta sexta-feira, o presidente esteve em outras quatro cidades nordestinas desde o dia 26 de junho: Penaforte, no Ceará, São Raimundo Nonato, no Piauí, Campo Alegre de Lourdes, na Bahia, e em Barra dos Coqueiros, Sergipe. 

Como mostrou o Estadão, Bolsonaro planeja uma série de viagens, com foco no Nordeste, para capitalizar medidas aprovadas pelo Congresso e obras iniciadas em gestões passadas. Pesquisas apontam que foi o presidente quem mais ganhou com o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 dado aos trabalhadores informais que perderam renda por causa da pandemia do novo coronavírus – inicialmente,  posicionou-se contra o benefício.

Na comunidade Angélica, zona rural de Ipanguaçu, Bolsonaro disse que o custo elevado, de R$ 50 bilhões por ano, impede a perenização do programa. Uma popular interrompeu o presidente: “prorroga até dezembro”, gritou.  Bolsonaro respondeu: “Vai até dezembro, só não sei o valor”, respondeu Bolsonaro, dizendo que a população devia estar consciente disso

Nas duas cidades do Rio Grande do Norte, o presidente, mais uma vez, ignorou as recomendações sanitárias para contenção da covid-19. Não usou máscara e ainda cumprimentou a população com acenos, toques de mãos e posou para fotos.

Praticamente sem manifestação de opositores, Bolsonaro foi recepcionado com gritos de “mito” e “eu vim de graça”, bandeiras do Brasil, e faixas com escritos como “O Nordeste é Bolsonaro”. 

 Na comitiva presidencial estavam a ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e os ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) e Fábio Faria (Comunicações). Os dois últimos são representantes potiguares na Esplanada dos Ministérios.

Em Mossoró, o presidente inaugurou um conjunto habitacional. Em Ipanguaçu, Bolsonaro assinou um termo de cooperação para crédito rural com o Banco do Nordeste, entregou unidades de dessalinização para oferecer água doce e  1.060 títulos de terra a famílias assentadas, que tiveram sua situação regularizada. Também foi lançado o programa Wi-Fi na Praça, que deve beneficiar 58 mil alunos no Rio Grande do Norte.

Um dos contemplados com os títulos de terra foi o agricultor Justiniano Barreto, de 73 anos. “Eu não vou mentir, votei em Lula. Mas, se fosse hoje, depois de tudo que ele (Bolsonaro) fez pelo povo, eu votava nele”, disse.

Em Ipanguaçu, Bolsonaro recebeu menos votos nas eleições de 2018 do que o prefeito do município, Valderedo Nascimento (PSDB), recebeu no pleito de 2016. Os 1.458 votos recebidos pelo presidente em 2018 o teriam colocado em terceiro lugar na corrida eleitoral municipal de 2016, no qual a segunda colocada recebeu 4.220 votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.